SIGA-NOS
Formulário de Contato

FAQ

Você está em: Home > TECNICA > FAQ
Nesta sessão, será possível visualizar as dúvidas técnicas mais comuns relacionadas aos produtos Policomp:
1. Estou iniciando meu primeiro projeto de router, que motores devo comprar?
R: Dimensionar uma máquina do zero, não é uma atividade nada fácil, e envolve diversos fatores. Nós dispomos de uma equipe técnica especializada em máquinas industriais para pronto atendimento, através do telefone: (11) 5661-7579. Antes de ligar, tenha em mãos os dimensionais físicos da sua máquina, o tipo de mecânica que irá utilizar (polias, fusos, cremalheira, etc), qual tipo de material irá usinar, qual curso útil da sua máquina, qual velocidade desejada de funcionamento e qual tipo de aplicação irá destinar (hobby, fabricação de produtos em linha, etc). Iremos dimensionar kits ideais para sua aplicação com os melhores produtos do mercado e nas melhores condições que irão atendê-lo!
2. Meu primeiro kit chegou! Tenho motores, drivers, inversor de frequência, e agora? Como faço para ligá-los?
R: No menu "Download", na barra superior, é possível fazer o download de todos os manuais em português e esquemas de ligação realizados por nós POLICOMP para facilitar a instalação e a manutenção correta nos equipamentos que nós fornecemos. É importante lembrar que, toda instalação elétrica e mecânica deve ser realizada por um profissional devidamente capacitado para função, e deve seguir rigorosamente os padrões das Normas Regulamentadoras vigentes. A POLICOMP não se responsabiliza por equipamentos instalados de forma inadequada, ou que interfiram na integridade humana dos operadores e usuários da máquina.
3. Pronto! Está tudo conectado e configurado! E agora?
R: Caso esteja tudo corretamente, nesta etapa você irá desfrutar dos melhores equipamentos do mercado! Abaixo seguem algumas dúvidas ou falhas decorrentes que poderão acontecer:
 
a) Conectei meu inversor, porém o mesmo não aciona o motor:
1º) Verifique novamente todas as conexões (U, V, W) e a integridade do cabo de conexão;
2º) Verifique se os parâmetros de frequência, partida e parada estão corretamente ajustados em inversor de frequência;
3º) Caso esteja tudo ok relatado acima, não hesite em ligar para o suporte técnico Policomp!
 
b) Acionei o "RUN" no meu inversor, porém o motor está rodando no sentido inverso:
1º) Você pode verificar o parâmetro pelo manual do seu inversor para fazer a reversão, ou;
2º) Caso esteja utilizando um motor Spindle, basta inverter os cabos que estão conectados aos terminais U e W;
 
c) Fui acionar meu inversor, porém o mesmo está acusando algum alarme:
1º) Veja na tabela de erros do seu manual, a maioria dos alarmes quando se trata de produto novo, são relacionados a erros de conexão, verifique se não há nada inadequado;
2º) Caso a falha esteja relacionado ao seu motor, verifique se o eixo do mesmo se movimenta livremente com a mão. Normalmente quando existe alguma falha física no motor, é possível notar pela carga ou movimento irregular do eixo quando tentado movimento. 
 
d) Fui acionar o meu inversor, porém o mesmo não acende:
1º) Verifique se os disjuntores de proteção estão armados;
2º) Verifique se não há rompimento do cabo de alimentação.
 
Caso verifique que possui algum problema mecânico com seu motor Spindle, nós realizamos a manutenção para você! Entre em contato com o nosso suporte técnico para verificar as maneiras de envio.
4. Estou enfrentando problemas com minha placa controladora:
a) O sentido de giro dos motores de passo estão invertidos:
1º) Verifique se os motores estão conectados devidamente conforme especificado no manual, todos os motores de passo fornecidos pela Policomp seguem rigorosamente um padrão de cores dos cabos;
2º) Verifique se no seu software de comando, as pinagens correspondentes as ligações da placa controladora estão corretamente configuradas, e se caso positivo, verifique se é possível fazer a reversão sem alterar o cabeamento físico;
 
b) Não estou conseguindo habilitar meu motor de usinagem (spindle) através do meu software:
1º) Verifique se seu inversor de frequência está devidamente configurado para receber comando externo para partida;
2º) Verifique se o cabeamento entre o comum do inversor e comum da placa está correto, e consecutivamente verifique se a saída do relé da placa está indo na entrada correta do inversor, previamente configurada;
3º) Verifique com um multímetro se o relé da placa controladora está atracando corretamente após envio do comando para habilitar o motor de usinagem;
4º) Verifique se existe uma frequência pré-definida para partida do motor, e qual origem de controle da frequência (potenciômetro externo, próprio inversor, ou se é ligado na própria placa para controle analógico);
 
c) Não estou conseguindo controlar a velocidade do meu motor de usinagem (spindle) através do meu software:
1º) Verifique se seu inversor de frequência está devidamente configurado para receber comando externo para controle de frequência;
2º) Verifique se o cabeamento entre o comum do inversor e o comum da placa está correto, e consecutivamente verifique se a saída analógica da placa está na entrada analógica correta do inversor, previamente configurada;
3º) Verifique com um multímetro se o sinal de tensão ou corrente enviado por sua placa controladora está sendo enviado e variando corretamente conforme comandado via software;
 
d) Durante a usinagem, meus motores de passo estão perdendo passo ou não estão tendo torque:
1º) Uma característica técnica de qualquer motor de passo convencional do mercado, é perder torque conforme a velocidade e a temperatura de trabalho. Durante o processo de dimensionamento da sua máquina, não esqueça de adicionar esse fator para evitar esse tipo de falha após a construção da máquina;
2º) Verifique sempre a curva de torque do seu motor no manual especifico presente na aba produtos para o trabalho, lembre-se, a tensão aplicada ao driver é fundamental para trabalhar com velocidade acima de 150 RPM no motor de passo;
3º) Verifique no seu software de controle, qual a velocidade que está configurada, lembre-se sempre de respeitar o tipo de mecânica utilizada antes de aplicar uma rotação muito alta, isto prejudicará a vida útil do motor, o bom funcionamento da máquina e a vida útil dos componentes mecânicos;
4º) Verifique se não existe nada que esteja interferindo no equilíbrio mecânico da sua máquina. Lembre-se, um bom funcionamento da eletrônica e dos motores, depende de um bom funcionamento da mecânica, e para isto, é muito importante dimensionar os produtos corretos para cada aplicação;
5º) Nunca compense uma correção mecânica utilizando um motor de passo com maior torque. Antes de aplicar maior corrente ou realizar a troca do motor por um de maior potência, tenha certeza que todos os componentes mecânicos do equipamento estão em pleno funcionamento;
5. Minha mecânica tem um deslocamento diferente do que estou comandando via software:
a) Fui comandar minha máquina para deslocar 300mm, e ela deslocou 500mm, o que eu faço?
1º) Verifique se seu driver de controle do motor de deslocamento (driver motor de passo, driver do easy-servo, ou do servo motor), está devidamente ajustado com a resolução de pulsos por resolução conforme ajustado no software de controle;
2º) Após verificar a resolução ajustada, verifique se seu software está devidamente ajustado para sua mecânica. A maioria dos softwares de controle CNC, possui sistema de ajuste fácil para enviar o deslocamento desejado e fazer a medição na própria máquina para ele se auto-ajustar.
 
b) Minha máquina não atinge a velocidade que estou ajustando no software:
1º) Verifique se a resolução ajustada no driver e no software são iguais;
2º) Caso esteja utilizando motor de passo, a velocidade de um motor convencional são de 600 RPM com uma fonte de 48v. Temos disponíveis motores de passo que alcançam até 1500 RPM com uma fonte de 80v, verifique disponibilidade de estoque;
3º) Verifique se sua mecânica é compatível com a velocidade desejada. Por exemplo, caso esteja utilizando um fuso com diâmetro de 16mm e passo de 5mm, cada resolução do fuso, o deslocamento linear da castanha será de 5mm. Ou seja, se estiver utilizando um motor de passo bem dimensionado, e este estiver trabalhando a 600 RPM, o deslocamento linear máximo alcançado será de 3000mm/min (passo x rotação = 5mm x 600 RPM). E, com isto, a limitação mecânica e eletrônica é eminente. Por isto, antes de finalizar a compra de materiais para sua máquina, esteja em mãos com o resultado esperado.
6. Comecei a usinar, mas vejo que minhas peças estão com resultado final diferente do esperado:
a) Meu inversor alarma constantemente por sobre corrente, o que faço?
1º) Verifique se seu motor de usinagem (spindle) é adequado para o tipo de material que está trabalhando. Motores para usinagem de aço/alumínio/metais ou pedras (materiais com alta dureza) são diferentes dos motores indicados para usinagem de madeira/acrílico/poliestireno/poliuretano/etc (materiais com baixa dureza). Nunca utilize um motor para materiais de baixa para usinar materiais de alta dureza. Isto acarretará em danos no motor de usinagem. 
2º) Verifique se o eixo do motor gira livremente com a máquina desligada ao tentar rotacionar com a mão. Falha como rolamentos danificados, eixo fora de centro, são facilmente perceptíveis ao tentar girar o eixo com a mão. 
3º) Verifique se está utilizando a ferramenta correta: O uso de ferramentas inadequadas durante a usinagem provoca sobrecarga no motor, causando esta falha no inversor de frequência. Sempre utilize ferramentas corretas para cada aplicação. 
 
b) Comprei um motor refrigerado a água, posso usar água de torneira?
1º) Não indicamos o uso de água de torneira pura para arrefecimento dos motores de usinagem. Com o tempo, os minerais e detritos da água, tendem a entupir os canais de arrefecimento do motor. Para isto, indicamos sempre a utilização de água destilada, e se preferível, a adição de aditivo automotivo com a correta solução. 
 
c) Meu motor está fazendo um ruído elevado durante o uso:
1º) Verifique se as configurações de corrente, velocidade e frequência do seu inversor de frequência estão devidamente ajustadas;
2º) Com a máquina desligada, verifique manualmente, se o eixo do motor de usinagem (spindle), está girando livremente, na maioria dos casos, excesso de ruído nos motores são em função de desgaste dos rolamentos. Nós temos uma equipe especializada em manutenção de motores de usinagem (spindle).
 
d) Tenho motor refrigerado a ar, quais cuidados devo ter com o arrefecimento?
1º) Primeiro passo para garantir um bom funcionamento de um motor de usinagem (spindle), é conhecer bem as propriedades do material que está usinando. Por exemplo, caso esteja utilizando um motor para materiais de baixa dureza, como nosso motor linha GDF, e esteja usinando MDF, o pó de madeira tende a ficar suspenso no ar por alguns instantes, fazendo com que seja absorvido pelo ventilador de arrefecimento do motor. Com isto, forma-se o acumulo de detritos dentro do motor e com o tempo, tende a impedir a circulação do ar, diminuindo a vida útil e provocando superaquecimento. Para evitar isto, caso o material que usine tenha essas características de suspensão ao ar, utilize finas camadas de lã de vidro na grelha de entrada do ventilador de arrefecimento, e faça a substituição desta a cada 60h trabalhadas pelo motor.
2º) Sempre ao final do trabalho, faça a limpeza com ar comprimido na linha de arrefecimento do seu motor a ar, e verifique se não existe restos de detritos de usinagem dentro do motor. Manter o ambiente de trabalho da máquina limpo e livre de pó e outras sujeiras.
7. Encontrei o CLP SINOVO pelo site da POLICOMP, como devo aplicá-lo?
a) Dimensionando um CLP para uma aplicação nova:
1º) Controladores Lógicos Programáveis (CLP) são excelentes produtos para garantir boa precisão e continuidade em um processo. Para isto, é importante entender quais necessidades da sua aplicação, assim como quais produtos deve aplicar. A SINOVO dispõe de 4 linhas de CLPs:

- Linha C: Esta linha tem como característica ser a mais econômica. Não possui saídas, nem entradas rápidas, não é possível expandir a quantidade de entradas e saídas, nem ao menos colocar um cartão para entradas analógicas. É o mais indicado para aplicações simples que necessitam apenas de saídas de chaveamento, do tipo liga/desliga, aceita programações horárias (liga e desliga com horário programado) e tem comunicação com outros dispositivos integrado de série. É também uma excelente linha para quem quer conhecer o produto e não quer iniciar com investimento mais elevado, pois dispõe da mesma ferramenta e dos mesmos recursos de programação que os demais da linha. 
 
-  Linha T: Esta é a linha intermediária. Tem como diferencial acima da C, o fato de possui canais de saída e entrada rápida (200khz), é expansível, e ainda dispõe das mesmas características  de robustez e confiança que toda a linha SINOVO oferece. Possui também relógio interno, é compatível com as mesmas características oferecidas com a linha C, mais o fato de poder comandar até 2 motores de passo, servo motores ou controles PWM com velocidade de até 200 Khz! 
 
- Linha H:  Está e a linha de alta performance!  Além de todos os recursos já oferecidos pela linha T e C, ele conta com 4 canais de saída e entrada rápida para até 200khz, garantindo muita velocidade e muita precisão para sua aplicação! É possível expandi-lo para mais entradas e mais saídas digitais, colocar recursos analógicos com leitura 0-10v, 4-20mA, sensores Thermopar (todos os tipos), PT100, e muito mais! 
 
- Linha N: Esta é a linha dedicada para controle de  movimento! É possível nesta linha, executar o comando de 8 canais de saída rápida todos em 200 Khz, e também fazer a leitura de 8 canais de entrada também em 200 Khz. Além disto, também é possível interpolar os eixos para tanto na função linear quanto interpolação circular (Arc). Permite a expansão para canais de saídas e entradas digitais, analógicas, temperatura, e integração com diversos outros protocolos do mercado!
 
2º) Após conhecer o que cada linha oferece, é importante você verificar em sua aplicação, quais pontos irá monitorar e comandar pelo CLP, isto é, neste momento, é importante ter claro todos os sistemas de controle que irá comandar pelo CLP. Isto é importante para definir a quantidade de entradas e saídas que irá utilizar.  
 
3º) Após verificar os quantitativos de entradas e saídas irá utilizar, é necessário saber se algumas delas possuem características especiais, como necessidade de  trem de pulso, necessidade de leitura rápida (caso de encoders, resolvers, sensores de alta velocidade), leitura de sinais analógicos, etc. Isto irá distinguir a linha de CLP que irá utilizar.
 
4º) Com esses números em mãos, entre em contato com nosso suporte técnico, que iremos adequar o melhor produto para sua aplicação!

https://wa.me/5511982015355